2º período escolar na Guiné- Bissau, inicia com greve geral

2º período escolar na Guiné- Bissau, inicia com greve geral


O ano civil na Guiné-Bissau iniciou com uma greve geral da função pública, não só ao nível do ensino, como também ao nível da saúde

Esta greve demorou a primeira semana do mês e em causa estavam o pagamento das dívidas ao pessoal contratado do setor de saúde e o pagamento e admissão definitiva de todas as categorias dos professores no quadro.

Sem aulas, os nossos alunos acabaram por prolongar o seu apoio às famílias, nas suas plantações.
Relativamente à covid 19, a Guiné-Bissau regista cerca de 2.450 casos de covid-19, 64 dos quais ativos, e cerca de 44 vítimas mortais. O maior foco situa-se na capital e cresceu na semana a seguir às festas do Natal e do Ano Novo.

"A Guiné-Bissau faz parte do grupo de 92 países que foram identificados como sendo elegíveis para beneficiar de um apoio de um grupo de parceiros que se organizaram para receberem vacinas contra a Covid-19, que não vai permitir a vacinação de toda a população, por várias razões, todas à volta do financiamento, mas que permitirá vacinar grupos de riscos identificados em cada país", disse Magda Nery Robalo. (Alta-Comissária para a Covid-19).
(...)
“Magda Nery Robalo disse ainda que na atual fase estão a decidir quais os grupos de risco que vão ser privilegiados, se cabem nos 20% a que a Guiné-Bissau tem direito e também a negociar com os parceiros a articulação do financiamento.”
In www.dw.com

Equipa Estuda Lá

 


Com a agravante de tudo isto, esta semana, as províncias da Beira, Sofala e Inhambane, estão a ser fustigadas pelo ciclone Eloíse, com fortes ventos, chuvas torrenciais e riscos de inundações. Ainda estavam a recuperar estruturas que o ciclone Idaí levou em 2019, quando isto acontece!


A missão dos missionários da Consolata em Nova Mambone, de onde muitos estudantes apadrinhados são naturais, está neste momento a acolher pessoas que ficaram sem casa. As grandes salinas desta missão ficaram, também, parcialmente destruídas. Mais uma vez, todos terão de unir forças para a reconstrução das suas casas!
É neste clima de insegurança e incerteza que, neste momento, os nossos estudantes estão a viver!


Em breve publicaremos a situação na Guiné-Bissau.


Equipa Estuda Lá

 

 

Related Articles